Blog do Anônimo Ignorante


ANÔNIMO IGNORANTE IS DEAD
October 27, 2009, 12:59 pm
Filed under: Uncategorized

Meus amigos, resolvi “matar” o Anônimo Ignorante. Não quero ser visto como o Diogo Mainardi da web. Agradeço a todos os que me apoiaram nesses dois meses de ignorância e anonimato, mas pra mim já deu.

Peço minhas desculpas se fui babaca em algumas ocasiões. Na verdade, tudo o que eu queria era movimentar um pouco a área de comentário dos blogs Publiminas e Mercado Web Minas, depois de perceber que, na maioria das vezes, ou ninguém se manifestava ou então, quando se manifestava era para criticar, sem qualquer argumento, as pessoas e agências em questão.

Sei como é difícil, penosa, a rotina das agências de publicidade online e offline, não apenas em minas, mas no Brasil inteiro. Já dizia um ditado que os médicos enterram seus erros, os publicitários, publicam. E isso mexe muito com egos, gerando sentimentos que vão da soberba à frustração, deixando o emocional muito suscetível. “Criativo” é um bicho complicado mesmo. E, como todo mundo, quer comida, diversão e arte – e também ser admirado por produzir peças de qualidade, seja um texto bem redigido, uma idéia inusitada, um jingle irresistível, uma foto genial, um site foda. Sendo assim, não quero ser visto como um chato a vigiar os passos dos outros. Foi legal enquanto durou, houve momentos divertidos, mas com esse episódio, dou por encerrada a história do Anônimo Ignorante.

Fica aqui apenas o meu apelo: vamos comentar mais, elogiar e criticar com critérios e argumentos, que temos todos a ganhar.

Abraços a todos.

Anônimo Ignorante



Nova campanha Sushi Beer tem pratos pintados ao invés de comida.

Eu vi o pop-card e não me deu fome. Porque não tem foto de comida, ora! Tudo bem, sou contra regras escravizantes, mas propaganda de restaurante que não dê água na boca, pra mim não serve. E os pratos ficaram meio toscos: um deles tem uma gueixa (dando idéia de sushi?); o outro tem uma foto de veneza (pra mostrar que tem pizza!); o outro, a foto da igreja da pampulha (pra simbolizar os grelhados!).

Bem, acabei dando umas idéias meia-boca pros caras desenvolverem a campanha. Não é pedantismo meu não, é apenas dica de quem gosta do lugar e acha que a idéia foi boa, porém o resultado final poderia ter sido bem mais legal.

Vejam o post completo aqui, no Publiminas.



Bond Girl, algemas e fetiches modernos e arrojados para o Pátio Savassi garantem a conta para a ON Idéias Interativas

O Pátio Savassi agora será atendido pela ON Idéias Interativas.  E eles conquistaram a conta graças a uma ação de guerrilha com Bond Girl, algemas e coisas misteriosas que deixaram até os seguranças do Shopping preocupados. Claro, teve também a proposta oficial que deve ter ajudado.

O Anônimo Ignorante, como não poderia deixar de ser, fez seus comentários escrotos, falou sobre estratégias de marketing para empresas que fecham as portas e outras ignorâncias do tipo. Confira o post completo nesse link, do Publiminas.



Orçamento participativo escrito a cinzel na pedra-sabão

Pois é isso mesmo que a Prefeitura de Congonhas quer propor – pelo menos é o que entendi da nova campanha feita pela Casablanca, para anunciar o Orçamento participativo na cidade. Confira a obra de arte nesse link, publicado no blog Publiminas.

Eu até dei uma sugestão que apesar de ser meio clichezóide, me parece que funcionaria melhor, demonstrando que Congonhas tem tradição, mas tem modernidade também. Não há necessidade de continuar redigindo os documentos a cinzel. Já inventaram o computador, as telas sensíveis ao toque, essas coisinhas que facilitam a vida da gente.

Tirando a ironia idiota (que quase sempre está presente nos posts do Anônimo Ignorante), eu acho que os profetas de Congonhas são uma obra magnífica e que poderia ter sido melhor utilizada dentro da campanha. Ficou meio simplório. E o acabamento gráfico ficou a desejar, com um baixo relevo estilo preset do Photoshop, no melhor estilo “Acabei de me formar em Photoshop na Mídia Escola de Artes Visuais – http://www.midiabh.com.br/”.



Como fazer um Business Game divertido sem usar Flash e outras pirotecnias

Saiu hoje no Mercado Web Minas um post falando sobre um business game feito pela produtora O2 GAMES, chamado “A Pequena Grande Crise”. Apesar do screenshot meio feiozinho, resolvi clicar pra experimentar. É de grátis, então vamo ver de colé!

Entrando no link http://www.apequenagrandecrise.com.br/ você se depara com a interface do game. Insira seu nome e comece a jogar.

Os gráficos são realmente feinhos e um pouco confusa a interface. Mas eu achei legal a iniciativa. Precisamos realmente de usar melhor a mídia GAME – apesar de ser óbvio, digo isso porque ainda tem gente que, quando pensa em propor um game para um cliente, logo imagina um link “JOGOS” no site do sujeito, com um pac-man estilizado ou um jogo da memória. E apesar de não ser exatamente original, “A Pequena Grande Crise” é uma das poucas propostas de Business Games com jeitão de arcade que eu vi nos últimos meses. Ou talvez nos últimos anos, sei lá.

De toda forma, leia o post original AQUI. Eu aproveitei pra dar uma dica genial pra quem quer fazer um Business Game fandásdigo usando CRIATIVIDADE e poucos recursos visuais. Vale a pena!



PRIMEIRA CAMISETA DA GRIFFE IGNORANTE!

Meus caros: para mostrar que ignorância e moda andam juntas, bolei essa que é a primeira camiseta da Griffe Ignorante, a futura loja virtual do Anônimo Ignorante.

comic sans2

Se você é COOL, precisa descolar uma camiseta “HELVETICA” ou  “Simply HELVETICA”. Mas se você é ignorante, assim como eu, precisa usar “COMIC SANS” – a camiseta mais descolada do momento.

Assim que tiver pronta a primeira remessa eu aviso.



SUCESSO! Estamos no blogroll do MERCADO WEB MINAS
October 6, 2009, 4:14 pm
Filed under: I´m so cool

Fiquei sensibilizado com essa novidade! Só tenho a agradecer! É verdade que os comentários do Anônimo Ignorante não são exatamente simpáticos… Pra falar mais francamente, já pensei em deletar o blog e parar com os comentários. Mas por enquanto vou me ater em comentar sem ofender ninguém, porque não é esse o objetivo (ainda que possa ter ocorrido). O objetivo é simplesmente tirar uma onda.